Notícias > Cozinha Brasil
Cozinha Brasil promove oficinas para profissionais da saúde

shutterstock_536366442Estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que doenças como Diabetes, Hipertensão e Obesidade – as Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNTs) – já são responsáveis por 58,5% das mortes ocorridas no mundo. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, as DCNTs atingem principalmente as camadas mais pobres da população. Elas correspondem a 72% das causas de mortes e de 75% dos gastos com atenção à saúde no Sistema Único de Saúde (SUS).

Para difundir o combate e a prevenção de doenças por meio da alimentação saudável, o Serviço Social da Indústria (SESI) vai promover oficinas do programa Cozinha Brasil, durante a IV Mostra Nacional de Experiências em Atenção Básica/Saúde da Família. O evento acontecerá nesta semana, entre os dias 13 e 15 de março, no Centro Internacional de Convenções do Brasil, em Brasília (DF).

Mais de 800 participantes da conferência serão qualificados. O público do evento é composto por gestores públicos e profissionais ligados à área da saúde. O objetivo, segundo a coordenadora do programa, Ângela Peres, é apresentar o Cozinha Brasil como uma tecnologia social capaz de reverter os problemas de saúde ligados à má alimentação no país.

“O consumo alimentar da população brasileira de uma maneira geral é preocupante: cada dia mais, a tradicional dieta à base de arroz e feijão é combinada a alimentos com poucos nutrientes e muitas calorias. Isso aumenta a incidência das doenças crônicas não transmissíveis. Por isso, precisamos conscientizar os brasileiros sobre a importância da adoção de novos hábitos alimentares”, destaca.

O objetivo do programa Cozinha Brasil é promover a alimentação saudável e adequada. Durante os cursos do programa, os alunos aprendem a preparar alimentos saborosos, com economia e sem desperdícios, introduzindo um cardápio farto em variedade e rico em nutrientes essenciais à saúde.

Tudo isso utilizando partes de alimentos de alto valor nutricional, mas que costumam ir para o lixo, como cascas, folhas, talos e sementes. As nutricionistas do programa também dão orientações sobre higiene na Cozinha, métodos de limpeza e manuseio de utensílios, métodos ideais de armazenamento da comida, sem a perda de nutrientes.

Durante a IV Mostra Nacional do Ministério da Saúde, serão realizadas oficinas com uma hora de duração, em duas modalidades: tradicionais (educação alimentar) e voltadas para combate e tratamento das DCNTs. Além do ensino teórico, haverá a produção de receitas do programa com degustação. As inscrições deverão ser realizadas no caminhão-escola do SESI, localizado dentro do Centro Internacional de Convenções.

Impacto econômico e social

O SESI realizou pesquisa nas comunidades atendidas pelo Cozinha Brasil para mensurar os impactos sociais, econômicos e financeiros do programa. Os dados comprovaram que as mudanças nos hábitos alimentares e a utilização quase integral dos alimentos são decisivas para combater o desperdício.

De acordo com o estudo, a maioria dos alunos não possui o hábito de utilizar cascas na alimentação (66%) ou de fazer refeições no próprio domicílio (58,58%). O levantamento também constatou a evolução dos alunos em relação ao desperdício de alimentos. Considerando o universo de participantes dos cursos em todo o país, o retorno é de R$ 7,19 para cada R$ 1,00 investido no Programa.