Notícias > Notícias
35 ações do Sistema Indústria que impulsionam o desenvolvimento do Brasil
Formado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Serviço Social da Indústria (SESI) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL), o Sistema Indústria trabalha para tornar o setor mais competitivo, gerar empregos e qualificar trabalhadores 

indústria moderna

Ações da Confederação Nacional da Indústria (CNI)

1. A CNI defende um Brasil mais competitivo 
A indústria busca um ambiente com condições favoráveis ao aumento da produção e do emprego. A estabilidade econômica, a eficiência do Estado, a segurança jurídica, a redução da burocracia e uma maior integração às cadeias globais de valor são prioridades na agenda da CNI. Em abril de 2016, a entidade entregou ao governo federal documento listando 36 medidas indispensáveis para tirar o Brasil da crise. Um ano depois, a CNI apresentou balanço mostrando avanços nesta agenda, com 20 destas iniciativas tendo andamento e outras quatro tendo sido implementadas.

2. A CNI tem o compromisso de ajudar a melhorar a infraestrutura do país 
A Confederação defende o aumento da participação da iniciativa privada nas obras e na gestão de projetos de infraestrutura, além da melhoria na qualidade das licitações e definição de instrumentos para não paralisar as obras. Nos últimos anos, a CNI lançou uma série de estudos que traçam diagnósticos dos gargalos e oportunidades e oportunidades de investimentos nos setores de transporte, energia, saneamento básico, e óleo e gás.

3. A CNI trabalha para reduzir o custo Brasil 
O Brasil está entre os líderes dos rankings de maiores custos em energia, transporte e tributação. A CNI trabalha junto aos poderes públicos para minimizar o custo de produção, reduzir a burocracia e, com isso, gerar mais emprego no país. Desde 1996, a CNI publica anualmente a Agenda Legislativa da Indústria, que apresenta à sociedade as principais proposições legislativas em tramitação na Câmara dos Deputados e no Senado Federal que afetam o desenvolvimento do país. A entidade também apresenta suas prioridades no Poder Judiciário e na área de comércio exterior com a Agenda Jurídica da Indústria e a Agenda Internacional da Indústria, respectivamente.

4. A CNI busca a modernização das relações do trabalho
Para o setor industrial, é fundamental combinar a proteção do trabalhador com a competitividade das empresas. Para isso, a CNI trabalha para trazer as relações do trabalho para o século 21, reduzindo a burocracia e a insegurança jurídica e prestigiando o diálogo entre empresas e trabalhadores na busca por soluções mutuamente benéficas. Nos últimos anos, a CNI produziu diversos estudos e trabalhos, como a cartilha Negociação Coletiva: o que é e por que valorizá-la, para demonstrar por que este instrumento precisa ser prestigiado no Brasil.

5. A CNI se empenha para que tenhamos um país inovador e produtivo
Para contribuir com o avanço da inovação no Brasil, a CNI coordena a Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), um movimento que visa a estimular a estratégia inovadora das empresas brasileiras e a ampliar a efetividade das políticas de apoio à inovação por meio da interlocução entre a iniciativa privada e o setor público. O desafio é fazer da inovação uma estratégia permanente das empresas e atingir o maior número de indústrias de todos os portes. Como forma de reconhecer as empresas inovadoras, a CNI e o Sebrae realizam a cada dois anos o Prêmio Nacional de Inovação e o Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, que reúne líderes empresariais, especialistas brasileiros e internacionais, e autoridades públicas.

6. A CNI investe em educação básica e profissional 
A CNI desenvolve ações de educação básica e profissional nas redes de escolas do SESI e do SENAI. Também mantém cursos de formação executiva no IEL. Essas ações formam profissionais competentes para a indústria e oferecem oportunidades de qualificação técnica que facilitam a inserção dos brasileiros no mercado de trabalho. Somente em 2016, foram 4,3 milhões de matrículas no SESI e no SENAI.

7. A CNI produz com sustentabilidade 
Em 2016, as iniciativas da CNI com foco em desempenho ambiental foram voltadas, principalmente, para a questão de biodiversidade e florestas. Desde 2012, realiza o evento CNI Sustentabilidade, para promover um diálogo permanente entre o setor empresarial sobre tendências, tecnologias inovadoras, oportunidades e desafios para nortear a indústria na busca da competitividade com sustentabilidade.

Ações do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI)

O SENAI é uma das maiores redes de educação profissional do mundo. Criada em 1942, por decreto do então presidente Getúlio Vargas, foi pensada para atender rapidamente as necessidade de formação de trabalhadores para a indústria. Em 2016, o SENAI atuou em mais de 1.300 municípios e também está presente em 9 países. Nos últimos 75 anos, contribuiu para impulsionar o setor industrial e também a cidadania de muitos brasileiros, por meio da qualificação para o trabalho. Veja algumas das ações realizadas pelo SENAI nas últimas décadas para tornar o Brasil um lugar melhor.

8. 71 milhões de brasileiros formados em 75 anos 
Desde 1942, o SENAI já formou 71 milhões de brasileiros. É como se um terço da população atual do país tivesse passado pelas salas de aula e oficinas da instituição. Os estudantes passam entre 50% e 70% do total da formação em laboratórios e oficinas. Nesses locais, desenvolvem suas habilidades técnicas, vivenciando, em um ambiente controlado, a mesma realidade do mundo do trabalho.

9. Melhoria da empregabilidade dos trabalhadores 
A proximidade com o mundo do trabalho faz com que os alunos que concluem seus cursos no SENAI ampliem a chances de conseguir um emprego mais rapidamente. Pesquisas da instituição mostram que cerca de 70% dos técnicos de nível médio são contratados na área no ano seguinte após o término das aulas. A renda das pessoas já empregadas, mas que fazem um curso no SENAI, também é impactada positivamente. Com o diploma em mãos, o aumento dessa renda supera os 20% .

10. A melhor educação profissional do mundo 
Alunos do SENAI e do Serviço Nacional da Aprendizagem Comercial (Senac) representaram o Brasil na olimpíada mundial de ocupações técnicas, a WorldSkills, disputada em agosto em São Paulo. A equipe brasileira obteve o primeiro lugar, com o melhor desempenho entre competidores de 60 países. Foram 11 medalhas de ouro, 10 de prata e seis de bronze, além de 18 certificados de excelência. O SENAI tem trabalhado para repetir o feito este ano, no próximo mundial, em Abu Dhabi, em outubro.

11. Adaptação de currículos da educação profissional de pessoas com deficiência 
Desde 1999, o Programa SENAI de Ações Inclusivas (PSAI) atua para qualificar pessoas com deficiência e apoiá-las na inserção no mercado de trabalho. Desde 2007, mais de 100 mil pessoas com algum tipo de deficiência passaram pelas salas de aula e oficinas do SENAI em todo o Brasil. As aulas – em turmas inclusivas, das quais participam estudantes com deficiência e os outros alunos – contam com professores qualificados para lidar com diversos tipos de deficiência, além de material didático adequado à situação de cada estudante.

Trinta e um cursos de formação profissional já foram adequados para pessoas com deficiências intelectual, física, auditiva ou visual. Entre eles, estão operador de microcomputador; mecânico de manutenção de motocicletas e de motores ciclo Otto, comum em carros de passeio; eletricista industrial; pedreiro de alvenaria.

12. Proteção dos empregos dos trabalhadores da indústria em momentos de crise 
A educação profissional ajuda a proteger os trabalhadores no momento de redução do mercado de trabalho. Estudo elaborado pelo SENAI mostra que o desemprego entre os trabalhadores que fizeram algum curso de formação profissional é inferior ao dos que não se qualificaram. Em dezembro de 2014, por exemplo, a taxa de desemprego entre quem tinha formação profissional era de 3,9% , enquanto que entre os que não tinham se qualificado era de 4,5%. Em junho de 2015, era de 6,6% e 7%, respectivamente, conforme os dados da Pesquisa Mensal de Emprego e Desemprego do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

13. Qualificação profissional da população ribeirinha na Amazônia 
Desde 1979, o SENAI oferece qualificação para a população ribeirinha da Amazônia com o barco Samaúma I. Desde então, foram certificados 56 mil alunos em 65 municípios do Amazonas, Acre, Amapá, Rondônia, Roraima e Pará. Depois disso, a população da região norte ganhou ganhou mais um barco escola, versão mais moderna e maior do anterior, o Samaúma II, ampliando a oferta de cursos de 16 para 34. O novo barco, com 42 metros de comprimento e três conveses (andares), está preparado para aulas embarcadas e desembarcadas nas áreas de mecânica, confecção, panificação, eletricidade, eletroeletrônica, soldagem, segurança no trabalho, refrigeração, marcenaria, atendimento ao cliente, construção civil e fármacos.

14. Matrículas e mensalidades gratuitas  
Em 2016, o SENAI destinou 67% dos recursos compulsórios arrecadados para a oferta de cursos gratuitos para a população, em atendimento ao acordo firmado em 2008 com o Ministério da Educação. De um total de 2.620.634 de matrículas realizadas pelo SENAI no ano passado, 1,475 milhão foi ofertada de forma gratuita, sendo parte delas pela gratuidade regimental, conforme acordo firmado com o Ministério da Educação em 2008, e as demais por bolsas de estudos.

15. Oferta de cursos em unidades móveis 
O SENAI conta com 442 unidades móveis, além das 555 fixas, que levam educação profissional para locais onde não há escolas fixas. Elas oferecem cursos de 40 a 320 horas, que vão desde a iniciação, qualificação básica, aperfeiçoamento e especialização profissional. A primeira unidade móvel foi construída em 1971, em São Paulo. Era uma carreta acoplada a um vagão de trem adaptado, em que eram ministrados cursos de mecânica a diesel e de eletricista instalador no interior do estado. A principal característica dos programas é a flexibilidade para atender às demandas da indústria.

16. Promoção da inovação na formação de profissionais 
A inovação é tida como uma das saídas para ampliar a produtividade da indústria. Para isso, é fundamental que os profissionais estejam preparados para este novo momento. No SENAI, os alunos, desde o começo do curso, são incentivados a inovar. A cada ano, são realizados projetos como o Inova SENAI e o Grand Prix SENAI de Inovação. No primeiro, os estudantes e docentes desenvolvem soluções inovadoras, e as melhores, segundo critérios de atendimento às demandas da indústria e do mercado, são premiadas. Já no Grand Prix, equipes formadas por estudantes e professores são desafiadas a criar soluções industriais para desafios do mundo moderno. Inspirado em um modelo sueco, o Grand Prix busca estimular processos de inovação aberta industrial – quando ideias são incrementadas com contribuições externas, em parcerias estabelecidas entre empresas, institutos de pesquisa e desenvolvimento e universidades. Na estratégia das equipes, devem ser consideradas técnicas de planejamento, gestão, execução e administração do tempo corrido de três dias.

17. Criação da primeira rede de institutos de inovação voltada para a indústria 
Em setembro de 2013, o SENAI iniciou as atividades da rede de Institutos SENAI de Inovação , que já conta com 21 unidades em operação e 339 projetos contratados. Até 2018, o SENAI vai inaugurar 25 Institutos SENAI de Inovação em 12 estados. Instalados próximos a complexos industriais e universitários, cada um tem uma área de competência específica, entre elas, automação da produção; biomassa; eletroquímica; engenharia de polímeros; laser; logística; metalmecânica, metalurgia; sistemas embarcados e tecnologia da informação e comunicação (TIC).

Com a rede, o SENAI se torna a ponte entre o que indústria quer e o que a pesquisa básica da universidade oferece. Os institutos preenchem a lacuna com centros de pesquisa aplicada para as empresas que decidem inovar, por meio de apoio laboratorial para prototipagem, serviço tecnológico de alta complexidade e de alto valor agregado, consultoria e treinamento, além de transferência de tecnologia e redução de riscos.

Ações do Serviço Social da Indústria (SESI)

O desenvolvimento de uma educação de excelência voltada para o mundo do trabalho e o aumento da produtividade pela oferta de soluções integradas em segurança e saúde para empresas são os principais desafios do Serviço Social da Indústria (SESI). Desde 1946, a instituição beneficia milhões de brasileiros em ações que vão da oferta de educação básica e continuada para crianças, jovens e trabalhadores à oferta de serviços de saúde para empresas e comunidades. Confira dez iniciativas que mostram a importância do SESI para você e para o país:

18. Serviços de Segurança e Saúde no Trabalho para 3 milhões de pessoas
O SESI conta com 144 unidades de vida saudável e 521 unidades móveis que oferecem, entre outros serviços, consultas médicas e odontológicas. Em 2016, mais de  3 milhões de pessoas foram atendidas em serviços de segurança e saúde e quase 1,1 milhão de doses de vacinas foram aplicadas em trabalhadores e seus familiares.

19. Educação básica e continuada para 1,7 milhão de atendimentos
Mais de 1,7 milhão de atendimentos foram realizadas em educação básica e continuada e ações educativas nas 583 escolas do SESI e diretamente nas empresas em 2016. Além disso, a instituição destinou 49,3% em educação básica e continuada e ações educativas, sendo 20,5% para gratuidade, percentuais acima dos estabelecidos por lei.

20. Educação básica articulada com educação profissional
O SESI é uma das referências nacionais de qualidade em educação com foco nas demandas do mundo do trabalho. Para isso, vem priorizando a parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para a oferta de educação básica articulada com a educação profissional. Em 2016, 34,8 mil jovens foram beneficiados nessa modalidade de ensino.

21. Torneio SESI de Robótica
O uso de novas tecnologias e recursos pedagógicos para estimular a aprendizagem de física e matemática e sua aplicação na resolução de problemas concretos é uma estratégia do Torneio de Robótica FIRST Lego League (FLL), realizado nacionalmente pelo SESI desde 2013. De lá pra cá, quase 17 mil estudantes, de 9 a 16 anos, participaram da competição. O FLL foi criado em 1998, e atualmente está presente em 88 países com mais de 255 mil participantes por ano.

22. Projeto SESI Matemática
Uma paixão de crianças e jovens em todo o mundo foi incorporado ao método pedagógico do SESI para facilitar a aprendizagem da matemática. Por meio dos games na internet e uma sala especial, alunos da instituição podem ver como cálculos, equações e ângulos estão presente na rotina das pessoas.

23. Edital de Inovação para a Indústria
Uma forma eficaz de apoiar o fomento à inovação no ambiente industrial é por meio do Edital de Inovação para a Indústria. Realizada em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial  (SENAI) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a iniciativa conta com seis categorias. Três delas são focadas no desenvolvimento de tecnologias voltadas à segurança e saúde no trabalho (SST): Inovação em SST e Promoção da Saúde (PS); Inovação Setorial em SST e PS; Empreendedorismo Industrial em SST e PS. Em 2017, serão disponibilizados pelo SESI R$ 3,6 milhões para projetos voltados à segurança e saúde no trabalho.

24. Vídeos educativos para segurança e saúde no trabalho
A informação é insumo básico também para prevenir acidentes no trabalho. Nesse intuito, o SESI criou a série de vídeos 100% Seguro, disponibilizada no canal da instituição no YouTube, para passar dicas e orientações a empresas e trabalhadores visando promover ambientes mais seguros. Até o momento, foram lançados vídeos educativos para os setores da construção, de frigoríficos e mineração.

25. Programas culturais e ações comunitárias
Em 2016, mais de 2,7 milhões de expectadores estiveram em programas culturais promovidos pelo SESI em todo o Brasil, como teatro, cinema e exposições de artes plásticas. Além disso, o SESI promove anualmente mutirões de cidadania em todo o país. Com o apoio de empresas e uma grande rede de voluntários, a instituição promove serviços de saúde, esporte e cultura para comunidades de baixa renda que beneficiaram mais de 809 mil pessoas no ano passado.

Ações do Instituto Euvaldo Lodi (IEL)

PARA VOCÊ 
26. Programa IEL de Estágio
Entrou na faculdade ou em um curso de educação profissional e quer colocar a mão na massa? O IEL te ajuda a aplicar, na prática, o que você aprende na sala de aula. O objetivo do Programa IEL de Estágio é aproximar alunos de universidades e de cursos técnicos e o mercado de trabalho. Desde 1998, o IEL já acompanhou mais de 1,8 milhão de estagiários em todo o país. Estudantes, suas experiências de vida são um registro da sua história, o que você tem de melhor. O mercado de trabalho sabe disso, e o IEL também. Encontre no IEL um estágio com acompanhamento de sua evolução profissional!

27. Prêmio IEL de Estágio
Você não quer ser só mais um no meio de tantos, não é? Nós também não selecionamos simples estagiários, selecionamos super estagiários. Nossa seleção é realizada com critérios inovadores que permitem associar competências e habilidades às oportunidades oferecidas pelo mercado. Além disso, realizamos todo ano o Prêmio IEL de Estágio , que destaca experiências de nível técnico e superior. O prêmio quer mostrar aos jovens a importância de se especializarem para terem uma carreira profissional de sucesso. Os concorrentes passam por uma seleção que leva em conta critérios como o desenvolvimento do estudante, o acompanhamento efetivo, a qualidade da supervisão oferecida, a interação entre o aluno e o orientador e os incentivos do ambiente de trabalho para o desenvolvimento profissional do jovem.

28. Fórum IEL de Carreiras
O caminho entre os estudos e a escolha da carreira não é fácil. O IEL pode te orientar sobre como gerir sua carreira de maneira empreendedora, focada e inovadora. Conheça o Fórum IEL de Carreiras ! O evento é gratuito e trata de desenvolvimento de carreiras e orientação profissional para jovens que buscam entrar no mercado de trabalho. Conta com painéis de especialistas, oficinas centradas no desenvolvimento de carreiras e rodadas de coaching individual.

29. Programa Inova Talentos
Quer se preparar para a profissão do futuro agora? Nós podemos te colocar em alguma das empresas mais inovadoras do Brasil. Feito para graduandos, graduados, mestres e doutores, o INOVA Talentos te ajuda a desenvolver habilidades e competências ligadas à inovação. O programa proporciona qualificação e vivência empresarial a partir do desenvolvimento e execução de projetos de inovação em empresas e institutos de PD&I.

30. Educação Executiva
E se você já tem uma carreira sólida e focada em inovação, o IEL oferece uma série de cursos executivos para você se aperfeiçoar. Destinados a executivos e gestores responsáveis por decisões empresariais estratégicas, o Programa de Educação Executiva do IEL capacita profissionais na utilização de ferramentas e técnicas aplicáveis no cotidiano empresarial. No ano passado, 45 mil executivos e gestores foram capacitados.

PARA A SUA EMPRESA
31. Seleção qualificada de estagiários

Você procura estagiários com uma boa bagagem e experiência de vida? É isso que o IEL mais valoriza! Sabemos das dificuldades em encontrar um estagiário que se destaque. Por isso, temos um programa de estágio que busca formar talentos para as empresas por meio de seleção realizada com critérios inovadores que permitem associar competências e habilidades às oportunidades oferecidas pelo mercado.

32. INOVA Talentos
Se você está atrás de profissionais qualificados, capazes de desenvolver projetos de inovação dentro da sua empresa, conheça o INOVA Talentos! O objetivo do programa é estimular a indústria brasileira a manter-se competitiva, diversificada e inovadora. Para isso, incentiva a criação de projetos de inovação nas empresas e institutos privados de pesquisa e desenvolvimento (P&D). A ideia é simples: selecionar, capacitar e inserir no mercado profissionais para exercerem atividades de inovação.

33. Inova Global
Já pensou que em algum lugar do mundo outra empresa pode ter a solução para um problema da sua empresa? O IEL pode te ajudar a conseguir essa expertise também! O Inova Global é um programa executado pelo IEL, em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com o objetivo de conectar a indústria brasileira e centros de inovação ao redor do mundo. Por meio de intercâmbio empresarial, o programa permite que empresas brasileiras enviem ao exterior ou recebam profissionais estrangeiros para ensinarem e aprenderem novas soluções empresariais.

34. Fornecedores
O IEL também te ajuda a melhorar os negócios com seus fornecedores. O Programa IEL de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores (PQF) ajuda as empresas fornecedoras a identificar e atender as necessidades das suas compradoras. Isso garante a qualidade dos serviços e produtos oferecidos e aumenta as vendas. Os serviços oferecidos pelo PQF qualificam os fornecedores nas áreas de qualidade, meio ambiente, segurança e saúde no trabalho, responsabilidade social empresarial, produção, gestão estratégica, comercial e financeira. Apenas em 2014, o programa atendeu 15 mil empresas nas ações de interação e promoção de negócios e capacitou 5,9 mil empresas fornecedoras.

35. Gestão Empresarial
Com a consultoria do IEL, você pode tornar sua empresa mais competitiva. O IEL oferece serviços que podem impulsionar seus negócios. O programa de Gestão Empresarial possibilita a geração contínua de novas soluções em gestão, integrando capacitação, serviços de consultoria e softwares de apoio à gestão e performance. Já o programa de Gestão da Inovação envolve metodologias e práticas voltadas a gerar inovações organizacionais de produtos e processos. Conheça o Gestão Empresarial!

Por Aerton Guimarães, Diego Abreu, Maria José Rodrigues e Guilherme Queiroz
Da Agência CNI de Notícias