Notícias > Notícias
Nova tecnologia pode capturar carbono emitido pela indústria

Seria possível sugar CO2 de bolsões de fumaça, pois o gás causador do efeito estufa no mundo se cristaliza e pode ser separado antes de chegar à atmosfera

Emissão de CO2: nível mantido nos principais poluidores (Foto: iStockphotos)

A mesma tecnologia que permite aos mergulhadores e tripulantes de submarinos respirarem debaixo d’água pode ser usada para absorver as emissões nocivas da indústria e de usinas de energia a carvão, segundo estudo publicado na revista Chem.

Pesquisadores do Oak Ridge National Laboratory, no Tennessee, descobriram uma maneira de coletar e armazenar gás CO2 por meio de uma nova técnica: uma substância especial de produtos químicos orgânicos chamados imino guanidinas ou BIGs (na sigla em inglês) se ligam ao bicarbonato em soluções de dióxido de carbono-água.

Quando o CO2 capturado das chaminés de fábricas é forçado a passar por uma solução de BIGs e água, parte desses compostos orgânicos se ligam ao bicarbonato que é formado na solução de CO2-água. O produto resultante são pequenos cristais que podem ser separados da água, o que significa que pode ser armazenado em vez de liberado para a atmosfera. Os cristais podem até ser usados ​​novamente para capturar mais dióxido de carbono posteriormente.

Essa técnica “tem um tremendo potencial”, disse Kristin Bowman-James, químico da Universidade do Kansas em Lawrence, à Science Magazine. Mas ainda não é certo se a tecnologia será eficiente e econômica em escala industrial, porque sugar grandes quantidades de dióxido de carbono emitido exigiria quantidades imensas de BIGs.

Mas já se sabe que a técnica é extremamente eficiente: utiliza cerca de 24% menos energia do que os “purificadores” de dióxido de carbono comumente usados ​​- um processo similar que usa um composto orgânico diferente.