Notícias > Notícias
Inovação por meio de pesquisas e trabalho conjunto

No segundo dia de visitas às escolas do Sesi em São Paulo, o superintendente do Conselho Nacional do Sesi, general Pedro Fioravante, conheceu a metodologia por trás da inovação do ensino na Instituição.  Os investimentos em tecnologia justificam-se no incentivo à pesquisa aprofundada – individualmente e em conjunto, além da preparação para o mercado.

Em todo o Brasil, o Sesi participa de premiações e recebe o reconhecimento pela capacidade de criação dos estudantes. A turma de Robótica do Sesi de Jandira, será a próxima a participar de torneio, em Presidente Epitácio, onde disputará uma vaga para a etapa nacional de construção de robôs.

O grupo é formado por dez integrantes, que vivem em contexto de baixa renda. A Escola do Sesi iniciou as atividades pedagógicas na microrregião de Osasco no início de 2018. O espaço atende 610 alunos no Ensino Fundamental e Médio. Os professores usam a metodologia da “escola sem paredes”, uma proposta inovadora que, entre outros aspectos, privilegia o trabalho dos conteúdos curriculares de modo livre, com integração de ambientes e sem sequências pré-definidas.

O estabelecimento do Sesi em Jandira aproximou a comunidade do ambiente escolar, promovendo atividades para as famílias e interclasses. Houve impacto também na preservação do córrego que corta a região, por ações de conscientização ambiental. Parcerias com Organizações da Sociedade Civil promoveram eventos esportivos, com objetivo de arrecadação de alimentos.

Tecnologia como vertente educacional

Acompanhado pelo assessor especial, Marcelo Lassance, o general Fioravante visitou também a escolas do Sesi em Jundiaí. O laboratório de inovação – FabLab foi um dos destaques da visita. A comitiva conheceu os projetos desenvolvidos pelos alunos e o processo de aprendizagem voltado ao mercado de trabalho e à transformação da Indústria.

Educação humanizada

Na Escola Sesi de Carapicuíba, parte da alimentação das crianças é provida por horta própria. Os alunos participam da plantação, cultivo e colheita de folhas e verduras que são servidas nos intervalos das aulas. A experiência humaniza o ensino, criando senso de pertencimento e despertando o olhar para o cuidado com o meio ambiente. No local, o superintendente do Conselho Nacional do Sesi, general Pedro Fioravante, também acompanhou aulas de modelagem e leitura.

Visitas Técnicas

A equipe do Conselho Nacional do Sesi visitará todos as unidades do país, mapeamento as atividades desenvolvidas e acompanhando a utilização dos recursos do Sistema Indústria na Educação. Rondônia será o próximo estado visitado.

 

Fotos: Ayrton Vignola/FIESP

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com