Notícias > Notícias
Programa desenvolvido no MT reduz casos de COVID nas Indústrias

Trabalho Seguro é iniciativa desenvolvida em três fases, contemplando desde a orientação de prevenção ao tratamento dos casos positivos.

 

A Federação das Indústrias do Estado do Mato Grosso (FIEMT) usou as boas práticas de combate a Covid-19 nos SESIs dos Estados para formular programa inédito de enfrentamento à pandemia nas empresas da região.

O Programa Trabalho Seguro foi lançado em maio, quando o Estado ainda acompanhava a estabilidade da curva de contaminação, como forma de prevenir a proliferação e manter a saúde e segurança do trabalhador, além de oferecer tratamento adequado aos casos confirmados da doença.

“O Mato Grosso acabou defasado no tempo da pandemia. Agora que estão vivendo o auge no Estado. Temos problemas sérios em setores produtivos importantes e, claro, a Indústria é muito afetada”, informou o presidente da FIEMT, Gustavo de Oliveira.

O Programa é composto por três níveis:

  • 1º nível: Corona Dados: detecção e orientação sobre riscos de contaminação. Estratégia de assistência gratuita às indústrias, com acesso aos manuais do Sistema SESI, tendo como base as melhores práticas dos Estados. Monitoramento de equipes, sintomas e contaminações nas empresas regionais.
  • 2º nível: Radar Covid: blitz nas empresas, analisando ambientes coletivos e apontando os pontos mais críticos. Ajuste de layout para operação durante a pandemia, consultoria e testagem rápida, com testes desenvolvidos nos SESIs de todo o Brasil.
  • 3º nível Combate Covid: rede de médicos credenciados, com atendimento presencial ou por telemedicina. A Federação também fez convênio com distribuidoras de medicamentos para facilitar a compra pelo trabalhador da Indústria.

 

Segundo o presidente da Federação, o objetivo do Programa foi evitar as internações, especialmente, a necessidade de entubar pacientes, visto a dificuldade de aparelhos em todo o país. As estratégias lançadas permitiram a detecção precoce e o encaminhamento ao tratamento ainda na fase inicial da doença.

“Acompanhei as indústrias onde ocorreram casos positivos. Uma delas, de grande porte, foram registrados 50 casos positivos no período de um mês. Desses 50 casos, cinco foram encaminhados para a UTI e dois foram a óbito. Depois da implantação do Programa, na mesma empresa, foram 87 casos detectados, dos quais resultaram apenas duas internações e nenhuma morte”, contabilizou Gustavo de Oliveira.

Ara conhecer o Programa Trabalho Seguro, acesse: https://www.fiemt.ind.br/coronavirus/trabalho-seguro