Notícias > Notícias
BOAS PRÁTICAS: Iniciação Científica nas escolas da Bahia

Os colégios do SESI da Bahia têm se destacado na formação inovadora de alunos com a implementação da Iniciação Científica. Estudantes de Ensino Médio são preparados para o mercado de trabalho do futuro com metodologia baseada em dois eixos: educação científica e Educação Tecnológica Empreendedora. 

No primeiro eixo, os alunos são incentivados à pesquisa interdisciplinar, ela perspectiva STEAM – Science, Technology, Engineering, Arts, Mathematics. Em português, a forma de ensino implica na junção de habilidades relacionadas à Ciência, Tecnologia, Engenharia, Arte e Matemática, tratando-as de forma integrada para transformar conhecimento em proposições para desafios atuais.

No eixo de Educação Tecnológica Empreendedora, as ideias extravasam o campo das ideias e se materializam no mundo real. Os alunos passam a desenvolver projetos como profissionais do futuro, preparando-se inclusive para ocupar postos de trabalho que deverão surgir a partir da transformação do mercado pela tecnologia. Os estudantes são criadores de soluções ao invés de meros usuários, adaptados à linguagem de programação.

O modelo de Iniciação Científica proposto pelo SESI/BA envolve, atualmente, 40 professores orientadores e 480 estudantes pesquisadores – 25 bolsistas do CNPQ e 10 vagas gratuitas oferecidas pelo SESI para alunos de baixa renda. 

Para completar o ensino, o pesquisador matriculado deve passar pela trilha formativa, composta pelas etapas de formação básica, incluindo a criação de equipes e estudos de teorias preliminares; pesquisa e desenvolvimento, com testes e ensaios; e a conclusão, com relatório final e apresentação em escolas e seminários.

Com soluções inovadoras, os alunos participaram de eventos internacionais em países como Abu Dhabi, México e Estados Unidos, além de cidades brasileiras como São Paulo (SP) e Nova Hamburgo( RS).